1º ConVIOTTI - Caxambu/MG - 10/06/2010

 Foto dos participantes do evento

   

Encontro em Baependi

 

O 1º. Encontro da Família Viotti, realizado nos dias 09 e 10 de julho de 2010, teve início com a celebração de uma Missa, na Matriz Nossa Senhora do Montserrat, padroeira da cidade de Baependi, onde, ainda hoje, residem vários membros desta família.

 

A Missa foi celebrada pelo Pe. Geraldo Ernesto que se referindo ao evento promovido pela Família Viotti, destacou os valores de Família, a importância do convívio familiar e sugeriu como exemplo a ser seguido por outras famílias, o Encontro que naquele dia, ali se realizava.

 Ao final da celebração, Dr. José Nicoliello Viotti, deu as boas vindas aos participantes, oportunidade em que lembrou Franciscus Jacobus Viotti o primeiro membro da Família que chegou àquela cidade, falou de seus dotes artísticos e sua participação e contribuição à vida religiosa e política local, bem como a de seus filhos. No final, foram distribuídos folhetos e jornais sobre Nhá Chica, oferecidos pela Irmã Claudine Ribeiro, Diretora da Associação Beneficente Nhá Chica.

 

 

Em seguida, os participantes foram convidados a se dirigirem à Praça Dr. Policarpo Viotti, local onde foi inaugurado um marco (foto abaixo) que fazia referência ao 1º Encontro da Família Viotti.

 

 

 

 

 

Faixas de saudação com dizeres alusivos ao evento foram colocadas neste e em outros locais de grande visibilidade da cidade.

 

 

 

Durante a inauguração falaram além do Dr. José Nicoliello Viotti, o Prefeito da cidade de Baependi, Sr. Efraim Lemos de Abreu.

Dirigindo-se aos presentes, ambos destacaram a trajetória da família Viotti, no Município, onde ainda residem vários membros da família e a contribuição dos mesmos ao desenvolvimento da cidade, em diferentes setores.

Compareceram à solenidade o Secretário Municipal da Saúde, Sr. Helder Vilela Siqueira e o Representante do Secretário Municipal de Turismo, Sr. Ivan Carlos Ferreira.

 

 

 

Após a inauguração, foram os visitantes recebidos pela família Viotti residente em Baependi, para uma recepção na Floricultura Manacá, lugar bonito e agradável, onde foram oferecidos aos visitantes, caldos diversos e um prato quente, muito saboroso. O Buffet ficou a cargo da Sra. Maria Helena Meirelles Mascaro que, de forma gentil e simpática se dirigiu a todos, desejando boas vindas e boa estada na cidade.

 

 

 

Encontro no Parque das Águas

 

 

A programação do sábado (dia 10) teve início com um encontro dos participantes na Fonte Dr. Viotti, situada no parque das Águas.

 

 

As famílias foram identificadas por camisas nas cores conforme sua descendência:

 Polycarpo - brancas

 

 

 

 

 

Domingos - amarelas

 

 

 

José – verdes

 

 

 

 

 

 

 

Sebastião - vermelhas.

 

  

 

No local, a Myrthes Viotti iniciou o evento explicando como tinha surgido a idéia de fazê-lo. O Dr. José Nicoliello Viotti, dirigiu algumas palavras aos presentes relatando um pouco da história da família e de sua passagem por Caxambu.

 

 

 

Falaram na ocasião o atual prefeito da Cidade, Dr. Luiz Carlos Pinto, o qual, após cumprimentar e dar boas vindas a todos, agradeceu a escolha de Caxambu para o Encontro, dizendo estar todos os caxambuenses lisonjeados pela escolha. Ressaltou aspectos históricos da presença dos Viotti em Caxambu mencionando os valores e a importante participação dos mesmos na vida daquele município e, conclamou a família, a com continuar realizando este Encontro em Caxambu, onde será sempre muito bem recebida e acolhida.

Falaram também, na oportunidade, o ex-prefeito da cidade, Sr. Rossini Jayme de Almeida Lima, o presidente da câmara Municipal, Sr. José Luiz Fernandes Nogueira. O primeiro lembrou a origem da família dizendo, para a surpresa de muitos, que os Viotti são originários, não da Itália, mas de uma cidade chamada Viotia, pouco ao norte de Atenas, na Grécia. Os gregos, que no seu país de origem assinavam Viotto, ao emigrarem para a Itália, passaram, a assinar Viotti, sobrenome que permanece.

Os oradores, ao enaltecerem a Família Viotti, relembraram seus vínculos com membros da família que lá residiram e reiteraram a palavra do Sr. Prefeito quanto a manutenção da cidade de Caxambu para a realização dos próximos Encontros, afirmando que isto será motivo de orgulho para seus moradores.

Também estiveram presentes e o Secretário Municipal de Turismo: Sr. Luiz Cláudio Rocha e Gisele, diretora do Parque das Águas.

 

 

Concluída esta etapa e, após se reunirem para fotografia nas escadarias do balneário, foram os participantes convidados a se dirigir ao local onde se encontram as quadras esportivas do Parque onde uma homenagem (“pos mortem”) foi prestada ao jornalista e locutor esportivo Rui Villara Viotti cujo nome foi dado ao conjunto das quadras de tênis do complexo esportivo do Parque das Águas. Falou na ocasião o Presidente da Câmara Municipal, Sr. José Luiz Fernandes Nogueira, que informou ser a homenagem uma propositura da Câmara Municipal de Vereadores, aprovada por unanimidade por seus integrantes. Dirigindo-se aos familiares do homenageado teceu elogios à pessoa e ao profissional Rui Viotti lembrando o vínculo do mesmo à sua famíla e à sua terra natal.

Fez, em seguida, a leitura dos dizeres da placa comemorativa ao evento, da qual constam os seguintes dizeres:

 

 

 

 

 

 

 

Terminada a homenagem, todos se dirigiram ao Hotel Glória, para o almoço de confraternização.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Almoço de Confraternização

 

 

 

Os familiares se reuniram na ante sala do salão de refeições para um brinde com espumante oferecido pela Miollo através da Zoraida, em seguida, foi servido um apetitoso almoço a todos.

 

Flávia Viotti Ribeiro Siqueira, em nome de sua mãe, Rosany Maria Viotti Ribeiro, membro da comissão organizadora do Encontro, leu uma saudação aos presentes. Também, foram sorteados vários brindes, oferecidos aos Viottis moradores em Baependi, pelos artesões dessa cidade, para esse evento.

 

Os membros da comissão organizadora, Irene, Myrthes, Rosany e Zoraida, receberam das mãos do Dr. José Nicoliello Viotti Diploma registrando agradecimento pela brilhante organização do evento.

 

Rosany apresentou o Diploma do Licor Viotti conferido a Francisco Viotti em Viena 1873, licor esse fabricado unicamente pela família Viotti em Baependi, bem como a garrafa desse licor que era feita na Itália ambos de propriedade do Dr. José Nicoliello Viotti.

 

Para finalizar, ainda no salão onde foi servido o almoço, aconteceu uma animada apresentação de um conjunto musical, com a apresentação do cantor italiano Sérgio di Napoli, que cantou músicas italianas ao som das quais muitos cantaram e dançaram, até o final da tarde.

 

Pelas manifestações dos participantes, a festa agradou a todos que esperam poder repeti-la nos próximos anos, se possível, com uma maior participação da família.

 

COMISSÃO ORGANIZADORA:

 

 

 

Myrthes Ganz Viotti, Zoraida Lobato, Rosany Maria Viotti Ribeiro e

José Nicoliello Viotti

 

TEXTO LIDO NO ALMOÇO

Caros familiares e amigos,

Boa tarde. Sejam bem vindos. Obrigada pela presença de todos.

É com grande alegria que nos reunimos para esta primeira Confraternização da Família VIOTTI, aqui em de Caxambu onde o sobrenome que com orgulho trazemos está para sempre marcado pela trajetória e pelos valores humano e profissional de nossos antepassados cuja memória, neste momento, queremos reverenciar.

A eles, elevemos nosso pensamento de gratidão e de saudade.

A feliz e oportuna idéia de realização deste Encontro partiu de Myrthes e de Zoraida, após visitas ao site da Família.  A elas, a quem coube a iniciativa, e aos que efetivamente trabalharam para que este evento viesse acontecer - José Nicoliello, Irene e Rosany, o nosso muito obrigado.

Não podemos deixar de agradecer a colaboração e o importante apoio dos Viotti residentes em Baependi para a realização deste Encontro, em especial pela acolhida e carinhosa recepção, na noite de ontem, em sua cidade.

O interesse pela genealogia desta família foi inicialmente manifestado pelo saudoso Dario Abranches Viotti (seu filho, Aurélio, aqui se encontra) e por Francisco Nicoliello Viotti. Com o intuito de conhecer a origem e, certamente,  salvaguardar a memória de nossos antepassados, ambos iniciaram pesquisas e registraram, de forma organizada, os dados delas obtidos, a partir dos quais foi possível à Rosany montar o site desta numerosa família (hoje, com 1705 integrantes conhecidos).

Cabe, ainda, destacar o trabalho realizado por Padre Helio Abranches Viotti que, também buscando referências da família, encontrou na Paróquia de Santa Madalena, em Gênova - Itália, a certidão de batismo de Jacobus Franciscus Viotti e de seus irmãos, Giacomo Nicolao, Tereza Maria Carlota e Giuliano, filhos de Vicenzo Viotti e Maria Benedetta Imperialle.

A eles, um obrigado, muito especial.

Retomando um pouco da história, a presença dos Viotti, no Brasil, teve início, com a vinda para o nosso país de Jacobus Francesco Viotti, nascido em Gênova, em 17 de fevereiro de 1811. Consta do Livro de Registro de Estrangeiros no Arquivo Nacional do Rio de Janeiro que ele e um irmão aqui desembarcaram no dia 11 de outubro de 1826 no Bergamin “La Virgine de Misericordia” em companhia de outros vinte e quatro imigrantes procedentes de Gênova. Solicitados a informar idade e habilitação, os dois Viottis, disseram estar com 15 e 12 anos, respectivamente, e que nada sabiam fazer.  

Por volta de 1828, Jacobus fixou residência em Baependi atraído pelo clima ameno da região e fugindo da febre amarela que ceifou muitas vidas na Europa e no Brasil.

Era, segundo imprensa da época, homem calado e circunspecto, de boas maneiras, respeitadíssimo, e tratado cerimoniosamente, ao que parece, até pela própria mulher.

Jacobus dedicava-se à marcenaria, profissão mal remunerada, à época, devido à concorrência dos escravos. Francesco escapou da miséria a que tendiam os imigrantes porque, como escreveu o grande vigário de Baependi, Monsenhor Marcos Pereira Gomes Nogueira, “tudo que saía de suas mãos trazia o selo da perfeição em seu gênero” Foi um dos artistas que adornaram a Matriz de Baependi, onde há belíssimas obras em madeira.

Olavo Bilac, em artigo publicado na imprensa, ressaltou a originalidade desses ornatos inspirados, quase todos, na flora brasileira.

Posteriormente, Francesco Viotti se tornou químico e farmacêutico e exerceu o ofício de boticário. Aprendeu, em seguida, a poder de “insano estudo”, a Medicina, tendo obtido autorização para clinicar como médico licenciado, o que fez até sua morte ocorrida em 1º de maio de 1879. Estava, então, com  68 anos de idade.

Em 07 de janeiro de 1832, antes de completar 21 anos, casou-se com Isabel Caetana Rodrigues da Silveira, com quem teve 11 filhos dos quais de sete não foram encontrados registros que pudessem comprovar terem deixado descendentes.

Dos atuais descendentes, hoje, vários aqui se encontram e para facilitar a identificação  usam camisetas de diferentes cores, a saber:

De cor amarela: os descendentes de Domingos Rodrigues Viotti e Maria Madalena Nogueira de Sá. Tiveram 08 filhos.

De cor vermelha: os descendentes de Sebastião Rodrigues Polycarpo Viotti e Ana Isméria Nogueira de Sá. Tiveram 12 filhos.

De cor branca: os descendentes de Polycarpo Rodrigues Viotti e Ambrosina Elysa Noronha de Magalhães. Tiveram 07 filhos.

De cor verde: os descendentes de José Rodrigues Viotti e Thereza Cristina de Araujo Lima. Tiveram 11 filhos.

Uma Curiosidade – Os irmãos Domingos e Sebastião foram casados com as irmãs Ana Isméria e Maria Madalena Nogueira de Sá, respectivamente. Dos 12 filhos de Sebastião e Ana Isméria, 06 casaram-se com filhos ou filhas de Maria Inácia e Antonio Joaquim Nogueira de Sá.

 

Agora, um pouquinho da história de alguns deles:

DOMINGOS RODRIGUES VIOTTI – (Tio Mingote)

- começou auxiliando o pai na farmácia por ele mantida, durante meio século,  “Botica Viotti”. Sem ter cursos acadêmicos, possuía extensos conhecimentos teóricos e práticos de medicina a qual chegou a exercer, com muito êxito.

- foi eleito Deputado Provincial para o biênio 1876 -1878 e reeleito, sucessivamente, até sua morte, em 1895. Provavelmente, foi o primeiro filho de imigrante italiano eleito parlamentar no Brasil.

- prestou valiosíssimos serviços à causa pública, especialmente no sul de Minas onde tratava seus conterrâneos com desvelo e desinteresse financeiro.

   -  fundou o município de Passa Quatro, em Minas Gerais, cuja principal rua tem seu nome;

- era um extremoso e solícito chefe de família, nunca poupando sacrifícios para a educação dos filhos, alguns dos quais deixou formados com instrução superior;

 

SEBASTIÃO RODRIGUES VIOTTI – (Vô Militão)

Infelizmente, não constam anotações a respeito do mesmo, nos arquivos pesquisados.

 

POLICARPO RODRIGUES VIOTTI  

- médico formado pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, clinicou por 50 anos em várias cidades do país: Vassouras, Valença e Paraíba do Sul, no estado do Rio de Janeiro, Monte Santo de Minas e Caxambu e na cidade de São Paulo;

- fundou, em 1822, a Empresa de Águas Minerais de Caxambu, captou-lhe as fontes e organizou a cidade que em torno dela se formava;

- sendo ele um Republicano, com o advento da República, foi nomeado intendente (cargo que equivale hoje a prefeito) de Baependi;

-  em 1891, foi eleito Deputado pela Assembléia Nacional Constituinte (a primeira Constituinte Republicana do Brasil) chegando à vice-presidência da Câmara Federal dos Deputados;

- em Monte Santo – MG foi presidente da Câmara. Chefiou o movimento civilista na campanha presidencial de Rui Barbosa e Hermes da Fonseca;

- em 1909, em um Congresso Médico realizado em São Paulo apresentou relevante trabalho sobre as águas minerais do sul de Minas. A ele, Caxambu deve, em grande parte, a valorização científica de suas águas minerais;

- foi homenageado com seu nome, em uma das fontes de água mineral, a uma rua em Caxambu e a uma praça em Baependi;

-  é patrono de uma das cadeiras da Academia Sul Mineira de Letras.

JOSÉ RODRIGUES VIOTTI

– foi aluno da Escola Politécnica do Rio de Janeiro, coletor estadual em Pouso Alto e professor público primário, em Baependi.

 

Muitos dos descendentes de Francesco Viotti prestaram e ainda prestam relevantes serviços ao país nas áreas da ciência, educação, cultura, artes e esportes, nas quais têm se destacado pela tradição de um trabalho profícuo e de grande qualidade. É interessante constatar a vocação e o direcionamento de muitos para a área da saúde, possivelmente herdada do patriarca.

Caros familiares, nesta oportunidade, gostaríamos de homenagear cada um de vocês que prestigiam este evento. Na impossibilidade de fazê-lo, pedimos licença para, em nome de todos, prestar uma singela homenagem ao Álvaro Vieira Viotti (o Chiquinho) que no próximo dia 17 estará completando 94 anos de vida. Membros de quatro gerações de sua família aqui se encontram, sendo ele o descendente mais velho.

Após exercer, por muitos anos, a profissão de alfaiate, Álvaro tornou-se escritor aos 75 anos e em 1991 lançou seu primeiro livro. Alguns exemplares de seus livros, muitos com edição esgotada, foram por ele trazidos para serem apreciados.

Parabéns, Álvaro, antecipadamente, pelo seu aniversário e pelo seu trabalho.

“Viottis”, não fiquemos apenas neste primeiro Encontro. Que a nossa festa seja, cem por cento, de confraternização e alegria e que o respeito e a admiração por aqueles nos antecederam nesta caminhada e pelos que estão fazendo, hoje, a história desta Família, sejam os pilares deste e de outros encontros. Que possamos nos manter unidos, não só pelos laços consangüíneos, mas, também, pelos de afeto e de amizade.

Quando o nosso Francesco Viotti chegou ao Brasil disse que aqui veio tentar fortuna. Se a fez, não sabemos. Entretanto, legado maior foi constituir esta família que, com licença do trocadilho, é VIÓTTIMA.

Obrigada, mais uma vez, a cada um, pela presença.

Servindo da oportunidade, pedimos que visitem e divulguem o nosso site, deixando suas mensagens e atualizando-o com fotos e fatos significativos.

A todos, um excelente almoço e bom divertimento.

Muito obrigada.

Escrito por Rosa Belma, Ary Viotti Neto e Rosany Maria Viotti Ribeiro

Lido por Flavia Viotti Ribeiro Siqueira.